Lista de materiais

1 - Reservatório de ar de freio de caminhão  
2 - Compressor de geladeira  
3 - Presostato  
4 - Regulador de pressão com filtro de ar (saída) 
5 - Válvula de segurança  
6 - Manômetro de 100 ou 150 PSI 
7 - Filtro de ar (entrada)  
8 - Cabo de força de 20 Ampères  
9 - Torneira para drenar água  
10 - Miscelânea - Solda, 50 cm de tubos de cobre, conexões de latão, zarcão, esmalte sintético, fita veda rosca . 

Responsabilidade

Há muitos anos (podemos falar de mais de uma década tranquilamente), César nos ofereceu este conhecimento, e até hoje nos é muito útil e caro. Obrigada César, autor primeiro, e aos demais colaboradores deste artigo.

É importante que as instruções sejam seguidas corretamente, e que de preferência quem for montar o compressor tenha um conhecimento básico de eletrônica.

Um compressor de ar pode se tornar uma bomba muito perigosa se não for feito com muito cuidado, responsabilidade e conhecimento.

César Siqueira Prados 

 

Considerações

Para que um modelo fique bonito depois de pronto é fundamental que o acabamento seja bem feito, principalmente a pintura. A evolução natural do modelista o leva a se utilizar de aerógrafos, pequena pistola de pintura, precisa, de uso profissional e amador. Existem aerógrafos de muitos tipos, e cabe ao modelista escolher qual se enquadra melhor  ao seu hobby e ao seu bolso. Só que um aerógrafo não trabalha sozinho, ele precisa de uma fonte de ar para trabalhar.

Nos meus mais de dez anos como modelista já vi inúmeros artifícios para se conseguir fontes de ar alternativas. É comum que o recém iniciado no hobby se utilize de compressores baratos, como por exemplo os inaladores de ar, vendidos em farmácias por um preço bastante razoável. Com pouco tempo se percebe que esse tipo de compressor não atende as necessidades do modelista visto que por não possuir reservatório de ar, pulmão, não mantém constante o  fluxo de ar, não permitindo por isso a possibilidade de se fazer linhas finas com o aerógrafo, por melhor e por mais caro que seja.

Algumas pessoas também se utilizam de compressores maiores, que mesmo tendo um falso "pulmão", já que como tem potência de sobra se utilizam da mangueira de ar para estabilizar um pouco a saída, também não atendem direito ao modelista, pois devido a sua potência, tem um barulho ensurdecedor. As vezes mais que 100 Db. Muito superior ao aceitável para o ouvido humano.

Ambos modelos citados ainda tem um problema, umidade. Nos dias chuvosos, que na minhas opinião, hoje, são os melhores para se pintar pois tem um nível de poeira no ar muito baixo não se pode utilizar desses modelos pois a falta de um filtro de umidade torna a pintura "perigosa", visto que a água pode passar pela mangueira e sujar o modelo. Outra coisa contra, é o fato do compressor trabalhar sem descanso, o que o superaquece e as vezes o leva a queimar.

Algumas pessoas, como bons brasileiros que são, conseguiram dar um "jeitinho" e improvisar um compressor que por si só já superava todos os compressores citados acima. Usaram um compressor de geladeira, silencioso e durável, com um vidro de maionese para filtrar o óleo da saída. Foi uma saída bastante engenhosa, mas ainda tinha alguns problemas como; superaquecimento, pois trabalhava direto; falta de controle preciso de pressão de saída, tinha de se jogar ar fora para diminuir a pressão e junto com ele dinheiro; era perigoso pois um vidro de 
maionese, com as vezes 40 PSI de pressão, podia-se tornar uma granada.

Resolvi então aperfeiçoa-lo e resolver definitivamente todos os problemas. Acho que consegui e após quatro anos de teste e várias unidades construídas resolvi disponibilizar aqui todas as informações necessárias para sua confecção. Vamos a elas:

 

Descrição dos materiais

O reservatório de ar de freio de caminhão funcionará como pulmão do compressor, ou seja vai armazenar o ar, estabilizando a saída, permitindo com que o motor funcione ciclicamente e ainda permite que se termine um trabalho caso falte energia elétrica. Aconselho que tenha volume entre 20 e 30 litros. Pode ser adquirido em ferro-velho que trabalhe com peças de caminhão, desde que em bom estado. Verifique se não esta muito oxidado e adquira apenas os modelos que trabalhem com alta pressão ( mais de 90 PSI). De preferencia aos que possuem muitas saídas de ar, isso facilitará a montagem diminuindo as conexões.

Compressor, coração do sistema, não é necessário um novo, adquira um recondicionado em lojas confiáveis e teste para certificar-se de que consiga "dar partida" sob 80 PSI de pressão. Aconselho os modelos de 1/4 de HP. Não se esqueça de que é necessário um relê apropriado para permitir a partida. Verifique a ligação, com o vendedor pois é especifica para cada modelo.

Presostato é um equipamento que faz a automação do compressor, ou seja depois de regulado ligará o motor quando a pressão atingir 65 PSI e desligará quando atingir 80 PSI. Pode-se adquiri-lo em lojas especializadas em compressores, o modelo mais simples basta. Não se deixe levar pela conversa do vendedor.

Regulador de pressão com filtro de ar é um equipamento que vai dar segurança e precisão a pintura pois mesmos nos dias mais úmidos retirará 99% da umidade. Existem muitos modelos e aconselho a dar preferencia ao modelo de duas saídas. O modelo mais comum nacional é muito bom, mas atenção a diferença de preços entre lojas. De preferencia a modelos pequenos nacionais pois caso necessário substituir o filtro algum dia não deverá ter problemas. Não é um equipamento muito difícil de se encontrar, podendo faze-lo em lojas especializadas em compressores ou ferramentas em geral.     Válvula de segurança é uma peça barata e insubstituível. Não se deixe levar pela tentação de não usa-la. Adquira em lojas especializadas em compressores.

Manômetro é um instrumento de medida de pressão. Pode-se encontrar em lojas especializadas e em lojas de ferramentas. De preferencia a modelos de 100 PSI pois se a pressão máxima de trabalho será de 80 PSI, o manômetro de 100 PSI dará uma leitura mais precisa.

Filtro de ar (entrada) - Peça fácil de ser confeccionada, mas pode também ser adquirida. Trata-se apenas de um recipiente onde se coloca algodão com o objetivo de não permitir a entrada de partículas sólidas no motor.

Cabo de força de 20 Ampères - Fio de ligação de 127 Volts ou 220 Volts. Aconselho os modelos já prontos, pois são muito mais seguros. Não abra mão da capacidade de corrente para que não trabalhe quente.

Solda vai servir obviamente para soldar os tubos de cobres que farão a ligação entre compressor- pulmão. Branca já serve mas atenção para o ferro de solda utilizado pois deverá ter no mínimo 150 Watts para uma perfeita fusão.

Tubos de cobre vão ser utilizados para fazer a ligação  compressor-pulmão. Adquira com um diâmetro superior ao do motor , para que não seja comprometido o fluxo de ar.

Conexões serão utilizadas para unir os componentes e não é possível aqui descreve-las pois dependerá dos componentes adquiridos. Apenas leve em conta que deve-se utilizar conexões de mesma liga pois ligas diferentes possuem potenciais elétricos diferentes o que induz a oxidação das mesmas. Aconselho latão. 

Zarcão e esmalte sintético serão utilizados para dar uma acabamento no reservatório (pulmão), caso tenha sido adquirido de ferro-velho. Siga as instruções nas embalagens e utilize a cor de preferencia. Use se possível revolver de pintura, se não for possível um pequeno rolo de pintura de espuma mas não um pincel pois o acabamento é inferior.

Fita veda rosca será utilizada para envolver as roscas das conexões afim de não permitir o vazamento de ar. Qualquer supermercado tem. 

 

Construção

A  primeira coisa a fazer e examinar todas as peças, ler todos os manuais disponíveis, entende-los e programar uma seqüência de montagem. 

Evidentemente a primeira coisa a ser feita é o reservatório, pois será a base de todo o sistema. Caso seja necessário lixe-o, e solde com solda elétrica, não solda branca, quatro ou três parafusos ou rodinhas, o que achar melhor. Se escolher parafuso coloque pezinhos de borracha nos mesmos. Leve em conta que o reservatório deverá possuir uma torneira para drenar a água que ali se acumula e esta deverá estar na parte de baixo. Em cima e da forma mais nivelada possível solde também com solda elétrica os parafusos que fixarão o motor, se quiser faça uma base como achar mais conveniente mas nunca solde o motor direto no reservatório . Feito isso o reservatório estará pronto para a pintura. Passe o zarcão e a tinta conforme instruções nas latas. 

Agora vem a parte das conexões. Você terá de através de combinações de conexões, conectar,  em uma seqüência definida por você o presostato , a válvula de segurança, o manômetro, o filtro-regulador de ar e o dreno no reservatório. As vezes acontece de ter de se usar conexões apenas para adaptar tipos de roscas diferentes  (polegadas/milímetros).

O presostato  e o manômetro devem ficar em cima e sempre que possível longe do filtro-regulador de ar para evitar que óleo vindo do motor entre no filtro. O filtro-regulador deve, respeitando a condição acima ficar no lugar mais confortável para o uso, mas sempre na metade horizontal superior do reservatório.

A válvula de segurança deve ser colocada no lugar mais protegido do sistema, mas nunca em baixo, geralmente atrás.

Uma das saídas do motor, quando for o caso deve ser soldada em um pedaço do tubo de cobre com a outra extremidade, soldada ou rosqueada no reservatório. Mas atenção, esse tubo deverá ter a forma de  uma letra U invertido tendo a sua parte mais alta situada a mais de 5 cm do mais alto ponto do motor, este procedimento vai dificultar enormemente a passagem de óleo do motor para o reservatório. A solda nesse caso deve ser feita com solda branca  e ferro de solda de mais de 150 Watts.

Obs: Todas as conexões rosqueadas devem ser feitas utilizando fita veda rosca. 

 

Parte elétrica

Esta deve ser feita com o auxilio do manual de instruções do presostato e com as instruções  fornecidas com  o vendedor do relê do motor pois diferem muito, mas basicamente é o seguinte : Um dos fios do cabo de força do  motor deve ser conectado no comum do relê. Os outros dois fios do relê devem ser conectados ao interruptor presente no presostato e por fim o outro lado do interruptor ligado deve ser ligado ao fio que sobrou do cabo de força.  

 

Calibragem

Existem dois componentes que devem ser calibrados. Não se esqueça mesmo que esteja escrito que eles são pré-calibrados, recalibre pois as calibragens originais são para operações em nível padrão (pressão máxima de 120 PSI). Siga a ordem descrita . As calibragens serão feitas para desligar em 65 PSI, ligar em 80 PSI e abrir a válvula de segurança em 90  PSI, níveis que foram testados e aprovados por mim e por outras pessoas.

Primeiro, calibre a válvula de segurança. Afrouxe a porca que trava, enrosque no sentido horário a parte interna da válvula e ligue o compressor, espera até atingir 90 PSI e desligue. Lentamente desenrosque a parte interna até que comece a vazar ar. Pronto, agora movendo apenas a porca de trava aperte bem.

Segundo, calibre agora o presostato. Provavelmente você terá um manual e dirá como ajustar mas de qualquer forma o procedimento é básico para todos. Existem dois parafusos, um é o de pressão máxima e o outro é de diferencial de pressão. Você provavelmente, se seguiu a ordem recomendada terá um reservatório algo próximo de 85 PSI, então é so abrir a saída de ar para deixar o ar escapar até que o presostato indique 70 PSI. 

Ligue então o motor e com muita atenção ajuste o parafuso de pressão máxima para que desligue quando a pressão do presostato atingir 80 PSI. Agora que o motor esta desligado abra a saída e com atenção ajuste o parafuso para que o motor volte a ligar quando a pressão atingir 65 PSI. Talvez seja necessário refazer o ajuste duas ou três vezes para obter êxito.

Pronto você tem agora um excelente compressor para aerógrafos, silencioso, potente e muito versátil. As pressões de trabalho serão definidas pelas tintas utilizadas com suas respectivas dissoluções e métodos empregados. Não se esqueça de drenar o reservatório periodicamente e completar o nível de óleo a cada 100 horas de motor ligado.

Se você montou esse compressor ficarei muito agradecido se me for enviada uma reportagem sobre o assunto.

César  Prados 

csprados@hotmail.com

 

Fotos

Dr. Oswaldo Jr. foi nosso aluno de aerografia (muito dedicado e talentoso) e construiu o compressor sugerido por Cesar Prados. Estamos reproduzindo aqui partes de um e-mail que ele nos enviou em março de 2002, contando os resultados obtidos. Agradecemos sua colaboração!!

"... Estou muito feliz hoje, pois consegui construir um compressor de ar para a aerógrafos... segui a dica de  compressor de Cesar Prados  e construí um, baseado em um motor de 1/4 HP de geladeira..

Estou enviando algumas fotos dele pra vocês verem como ele ficou... ficou lindo.. adorei mesmo... e principalmente, totalmente silencioso, pequeno, fácil de carregar e pode ser colocado debaixo da minha mesa... atinge pressão de 120 lbs no tanque e matém o nível de pressão de saída excelentemente dentro do necessário... desliga a 120 lbs e ativa a 80 lbs.. a gente nem percebe... e não gasta muito tempo pra encher o tanque não viu...  pra mim foi a salvação divina pois trabalho dentro do apartamento e ja viu o barulhão do outro compressor...

... e as fotos.. pode colocar no ar se quiser.. pois a única coisa falha da dica é que não tinha nenhuma foto de algum modelo pra eu poder me basear..." 

 

 

 

 

 

 

Problemas do ar

Autor : Cmte. Arnaldo Francisco Renz Junior renzjunior@uol.com.br

Após trinta e cinco anos no ar, aposentado há dois, comecei a sentir saudades do ar, mas não do ar do vôo e sim de ar para meu airbrush, parado há mais de vinte anos. Ao fuçar na net deparei-me com o site "Webkits" onde encontrei nos vários Fóruns várias sugestões e dicas – agradeço a todos – e experimentei vários "bizus". No meu retorno às montagens ainda usei uma lata de propelente que havia sobrado de priscas eras. Após passei para um destes de ar direto que mais parecia o Electra que eu havia voado em 1984, barulhento pra danar. Aí vi uma sugestão que achei que não ia funcionar porque era muito simples e barata, o inalador. Mas, acreditem, funcionou! Mas à medida que o "skill" vai se aprimorando os problemas vão aparecendo. É a pouca pressão, é a umidade e é a necessidade de ao pausar ter que desligar o compressor, pois pode até queimar. O dedão do pé chega a ficar com câimbra! Passei até pela fase do vidro de maionese – que não funciona para a umidade e nem estabiliza a pressão. Aí, ao furunfar no Webkits deparei-me com uma indicação para o site do"aerografia.com" e a dica de César Prados, e fiquei simplesmente seduzido pela idéia do compressor de geladeira e após consultar os meus gurus e analisar bem cheguei a conclusão que iria funcionar, e bem. Conversei com o Celso, um amigo mecânico de aviação dos tempos iniciais da Rio-Sul e dono de uma empresa – AeroFlight – que conserta instrumentos e magnetos e vendi a minha idéia, rapidamente comprada em nome do ineditismo da proposta, pelo menos para nós. Imprimi o artigo do César Prados e começamos a discutir a montagem.

Optamos por um extintor de incêndio de pó químico, primeiro pela sua capacidade, segundo pela resistência, e finalmente pela sua válvula. O Celso me demonstrou a potencia de um compressor de geladeira ao adaptar na saída dele um manômetro de 1000psi e constatamos que ele botava fácil, fácil, 700psi, o que convenhamos é um bocado de pressão. O extintor agüenta tranqüilamente 250psi o que acredito que o reservatório de caminhão não.  

Achamos, no ferro velho, uma base de chapa dobrada que calhou perfeitamente na montagem. Soldamos, com solda elétrica, o extintor na chapa e a furamos para aparafusar o compressor com seus coxins de amortecimento. Tiramos a válvula da cabeça do extintor e a refuramos para adaptarmos a válvula de segurança, item essencial na montagem, regulada para abrir com 120psi, o presostato – liga com 60 psi e desliga com 100 psi, o manômetro e o filtro de ar que também regula a pressão. Esta montagem está muito clara na primeira foto logo abaixo.

Fizemos dois furos no cilindro. Um, na metade, que é a entrada de ar proveniente do compressor. Isto se explica porque o compressor de geladeira trabalha imerso em óleo e este sempre passa para fora, um mínimo por sinal e como é mais pesado que o ar a tendência é se depositar no fundo do cilindro. Não notamos óleo no filtro, somente um leve odor. O compressor de geladeira possui uma válvula de retenção de ar, ou líquido, que não funciona muito bem, por isso, num preciosismo, instalei uma "check valve" (foto abaixo) o que não deixa o ar vazar. O segundo furo foi no fundo do cilindro onde adaptamos uma válvula dreno. Pelo que sair no dreno dá para ter uma idéia do óleo a ser reposto no compressor. Uma coisa muito importante é não fazer a ligação compressor-reservatório com uma linha direta. A idéia é dificultar a passagem de óleo para o reservatório. Como podem notar, na foto abaixo, fizemos duas voltas o que dificultará a passagem do óleo e servirá como amortecedor da linha por ocasião da partida do compressor.

Instaladas umas alças, ligações elétricas feitas e "voilá", funciona!!!!!!! Pelo seu funcionamento silencioso e automático hoje nem me dou conta de onde vem o ar do meu airbrush. Fonte inesgotável e firme. Obrigado César Prados pela inspiração.