Home Page


conhecendo o aerografo quem somos curso online dicas veja nossa arte adquira seu aerografo maquiagem HD e artistica fale com a gente


 

Micropintura Automotiva

Com a micropintura, uma fina camada de tinta é aplicada sobre o arranhão, escondendo o defeito, que fica quase imperceptível. Mas a técnica serve apenas para arranhões. Se o dano for muito largo, ou se a lataria estiver amassada, a técnica é contra-indicada.
A micropintura é uma técnica artesanal.
O serviço demora cerca de duas horas, entre a aplicação de várias camadas de tinta e o enceramento. Nem sempre o processo envolve lixamento e verniz.

Em caso de pequenos arranhões, a micropintura é uma boa solução, com a ressalva de que deve ser aplicada adequadamente para corrigir os danos sem deixar marcas.
 
Para obter o resultado esperado é importante que as condições gerais da pintura do carro sejam boas, pois se estiver queimada pelo sol não é descartada a hipótese de comprometimento do aspecto final do serviço. A micropintura também não é a melhor opção para veículos de cores claras.

Deve-se identificar a cor do veículo, após feito isso, a tinta deve ser preparada em um sistema mixing (ou ser comprada pronta em uma casa de tintas). A cor deve ser testada em um corpo de prova (chapinha) e fazer, se necessário, o acerto de cor. Quando necessári, fazer o primeiro lixamento (disfarce ou abertura de lixamento), em seguida, aplicar o primer de enchimento. Após isso fazer um novo lixamento. A área ao redor do retoque deve ser polida com lixamento fino.
 
Existem algumas alterações na aplicação do processo de micropintura que devem ser observados. Por exemplo, se a tinta for poliuretânica, deverá ser aplicada até cobrir o primer e depois aplicado o thinner fundido de retoques, conforme indicação do fabricante.
Se a tinta for base poliéster, também deverá ser aplicada somente até cobrir o primer, e, em seguida, deverá ser aplicado o verniz, utilizando thinner fundidor de retoques. Deve-se lembrar que os fabricantes de tintas tem produtos próprios para esse tipo de retoque.

Não se aconselha utilizar o processo de micropintura no teto, tampa traseira e capô do motor, pois são partes do veículo que sofrem diretamente as ações da natureza, principalmente incidência de raios solares. Nestes casos, outros métodos são indicados, como a técnica de alongamento ou a pintura total da peça. No restante da carroceria, a micropintura pode ser aplicada sem preocupação. O processo é vantajoso, já que a pintura do veículo não sofre grandes alterações. “A principal vantagem do sistema é com relação ao custo da reparação. A oficina gasta menos, tanto em material quanto em mão-de-obra. O consumidor também é beneficiado pelo processo, pois paga menos pelo serviço executado e o carro não fica muito tempo parado na oficina”.

É preciso ressaltar que a micropintura não faz mágica. Esse método apenas cobre 80% do risco, sendo assim, é difívil dar garantia total desse trabalho. Na verdade, ela disfarça o arranhão. Utilizando-se o aerógrafo — equipamento de aplicação de tinta —, o risco é preenchido camada sobre camada com a tinta original. Após a secagem, retira-se o excesso e é feito o nivelamento. Esse procedimento é recomendado para carros de cor escura, cuja pintura tenha pouca incidência de pigmentos prateados.
 



 
entre em contato
FAZENDO ARTE - Aerografia
Próxima página